Atlético descarta uso do regulamento na final do Mineirão

O início de temporada credenciou o Atlético Mineiro como um dos grandes favoritos nas competições nacionais e internacionais. Não à toa, chega à final do Campeonato Estadual contra um forte América sob a vantagem de um empate agregado pela melhor campanha na Primeira Fase. O invicto Galo somou 20 pontos, enquanto o adversário deste domingo, que também não perdeu, apenas 18.

A sequência do Atlético não teve o mesmo sucesso. Logo na Semifinal, uma derrota para o Athletic por 1 a 0 em São João del Rei. Na última quinta-feira, tropeço diante do Libertad, do Paraguai, dentro do Mineirão, pela Copa Libertadores. Do outro lado, o América manteve o alto nível e a invencibilidade só acabou por conta do triunfo atleticano na ida da decisão, por 3 a 2.

“Vamos jogar para ganhar”

Placar, inclusive, que aumenta a vantagem do Galo em busca da 47ª conquista do Campeonato Mineiro na história. Se poderia empatar nos dois duelos e, mesmo assim, garantir o título, o Atlético, a partir das 16h30 deste domingo, sequer precisa do empate no Gigante da Pampulha.

Com uma vitória mínima do América, o Maior de Minas ainda fica com a taça. O que, obviamente, aumenta as chances do Galo de levantar um importante troféu para a sequência de 2023. O lateral-direito Mariano, porém, não espera um Atlético Mineiro defensivo.

“A gente já tinha uma vantagem (melhor campanha) conseguimos ampliar um pouco mais. Nós sabemos da dificuldade. Um clássico, não tem favorito, mas você ter uma vantagem é importante. Só que nós vamos jogar para ganhar e buscar nosso objetivo.”

Sem surpresa, hein!

Eduardo Coudet mandou a campo uma escalação que surpreendeu os torcedores na última quinta-feira e não deu certo. Então, a tendência é o treinador não fazer experiências novamente. Zaracho e Jemerson, poupados na Libertadores de acordo com o próprio argentino, provavelmente ganham a posição de Pedrinho e Nathan Silva.

Comentários estão fechados.

n