Coudet escolheu uma das piores opções para cobrar o pênalti na Copa do Brasil

O volante Rodrigo Battaglia foi um dos jogadores do Atlético que assumiram a responsabilidade de cobrar os pênaltis na eliminação para o Corinthians, mas acabou isolando sua cobrança. Além dele, Hulk e Edenilson também desperdiçaram suas batidas – apenas Paulinho guardou.

Uma análise realizada pela rádio Itatiaia revelou que Battaglia não realizava uma cobrança de pênalti desde o dia 14 de dezembro de 2016, quando jogava pelo Deportivo Chaves e marcou o terceiro gol na vitória por 3 a 2 sobre o União Torreense, nas oitavas de final da Taça de Portugal. Desde então, o meio-campista não realizou outras batidas.

Bom lembrar que o time ainda contava com a presença de Nathan Silva, que já havia demonstrado eficiência ao marcar um gol de cobrança na final da Supercopa do Brasil contra o Flamengo no ano passado. Além dele, ainda havia Mauricio Lemos, jogador que se posiciona junto a Hulk para as cobranças de falta.

Coudet fala sobre queda

Após ser contratado em novembro como sucessor de Cuca, o técnico Eduardo Coudet vivenciou sua primeira eliminação à frente do clube. Para muitos dos torcedores e da imprensa, ele foi um dos principais responsáveis pela saída precoce da Copa do Brasil.

Realizando cinco mudanças na equipe titular, inclusive deixando o artilheiro Hulk no banco de reservas, e fazendo quatro substituições logo no início do segundo tempo, Coudet tentou explicar a derrota em entrevista coletiva. Para ele, a eliminação foi dolorosa e deixou marcas.

Como sempre falo, tentamos usar quem está melhor. Tínhamos muitos jogadores com muita minutagem, como Hulk. Não pude descansá-lo contra o Coritiba, por exemplo. Então optei pelo descanso no primeiro tempo. Agora que aconteceu a eliminação, se volta o foco para as mudanças. O único que jogou fora da posição foi o Patrick e isso foi minha responsabilidade. O jogo foi parelho, mas sofremos na bola parada“, disse.

Comentários estão fechados.

n