Diretoria do Galo não deu ouvidos para o Coudet e agora está pagando o preço

O técnico Eduardo Coudet expressou em alguns momentos à diretoria do Galo a necessidade de ter um novo atacante no elenco. No entanto, devido à dificuldade financeira que o clube está enfrentando, novos reforços só devem chegar em julho, quando abre a próxima janela de transferências – o último a chegar em Belo Horizonte foi o volante argentino Rodrigo Battaglia, contratado junto ao Mallorca, da Espanha.

De acordo com informações obtidas pela rádio Itatiaia, antes de perder Ademir para o Bahia e Sasha para o RB Bragantino, Coudet sugeriu à diretoria a contratação de um artilheiro argentino. No entanto, o grande problema é que o jogador em questão, Marco Ruben, ex-Athletico-PR, encerrou a carreira em maio de 2022, quando jogava pelo Rosário Central-ARG.

Outro nome divulgado na mídia foi de Deyverson, hoje no Cuiabá. O jornalista Thiago Fernandes, em reportagem da GOAL, informou que internamente o jogador foi rejeitado pelos dirigentes do Atlético-MG, por considerarem que sua contratação não seria uma adição valiosa para o elenco.

Outros nomes

Segundo informações do próprio presidente Sérgio Coelho, Chacho teria sugerido ao clube a contratação de diversos jogadores para outras posições no time. Os laterais-direitos Gilberto, que atua no Benfica, e Preciado, da Seleção Equatoriana, além dos zagueiros Felipe, que já jogou pelo Corinthians e pelo Atlético de Madrid, Juan Jesus, que atualmente joga no Napoli, e Luan Perez, que já defendeu o Santos e hoje em dia joga no futebol turco, estavam na lista.

Entretanto, devido ao fracasso nas negociações com os times dos jogadores indicados pelo argentino, o Atlético teve que buscar outras opções no mercado, como os laterais Saravia e o zagueiro Maurício Lemos, por exemplo.

Comentários estão fechados.

n