É dessa maneira que o Atlético-MG vai conseguir escapar das dívidas

O Atlético-MG vive a fase mais conturbada dos últimos anos, tanto dentro dos gramados, quanto fora deles. Por enfrentar a maior dívida do futebol brasileiro, enfrentando juros completamente negativos, e se desdobrando para lidar com as responsabilidades mínimas, o clube caminhou para a transformação em Sociedade Anônima do Futebol, contando com o apoio inevitável de investidores.

A votação e aprovação da SAF aconteceu entre os dias 20 e 21 de julho, seguindo com a Galo Holding, com 75% das ações, e outros 25% para a associação. O principal objetivo é levar o clube para a sustentabilidade, algo que de acordo com Betinho Marques, ao ‘Fala Galo’, será possível principalmente com dois importantes pontos, relacionados ao novo estádio do clube, e às categorias de base.

No Podcast do ‘Fala Galo’, Betinho revela: “Eu só enxergo dois pilares para o Atlético ser sustentável. ARENA COM BOA GESTÃO e BASE FUNCIONANDO. Um garoto revelado em um ano ruim, paga a conta. Só acredito no Atlético sustentável assim”, comentou. O comentário é extremamente válido, especialmente após um decepcionante resultado do sub-17 da equipe, pelo Campeonato Brasileiro.

Torcida do Galo possui expectativas sobre Arena MRV

Na última quarta-feira (19), o Galinho sub-17 entrou em campo pela terceira rodada do Brasileirão da categoria, e acabou goleado por 7 a 1, no Estádio da Fazendinha. O resultado apreceu de maneira decepcionante, já que é o grupo mais próximo da transição. A equipe paulista já terminava a etapa inicial vencendo por 3 a 0, sem grandes problemas de finalização.

No entanto, no segundo tempo, Mateus Iseppe, atleta de destaque da base do Galo, acabou marcando um dos gols, contra. A Arena MRV segue como a maior expectativa ao torcedor, especialmente ainda no ano de inauguração. A expectativa é que já em agosto, possa mandar seus jogos oficiais ao estádio, mesmo com a capacidade reduzida.

Comentários estão fechados.

n