Em crise no Atlético, Milito prepara as malas e pode treinar o Internacional

Apesar de ainda ter um respaldo grande da torcida do Atlético, o técnico Gabriel Milito não é mais unanimidade. Isso porque, nos últimos sete jogos, o time venceu apenas uma partida, além de sofrer algumas goleadas.

Junto dessa desconfiança, tem o fato do Internacional ter demitido Eduardo Coudet após a derrota por 2 a 1 para o Juventude, no Beira-Rio, pela terceira fase da Copa do Brasil. Com isso, o Colorado deve ficar atento a todas as movimentações no mercado, e o ex-zagueiro do Barcelona pode vir a se tornar um alvo.

Nessa quinta-feira (11), Milito terá mais um difícil confronto pelo Galo, dessa vez contra o embalado São Paulo, na Arena MRV, pela 16° rodada do Campeonato Brasileiro. Em caso de derrota, a situação do argentino pode ficar bem complicada.

Milito acredita em reviravolta

Milito não procurou justificar a fase atual do Atlético em campo. No último domingo (7), o time sofreu a terceira derrota consecutiva ao perder por 3 a 0 para o Botafogo, jogando fora de casa.

Questionado sobre os desfalques, o “hermano” afirmou que precisa formar um time competitivo com os jogadores disponíveis, e também reconheceu que o grupo será fortalecido com o retorno de alguns atletas do departamento médico e com a abertura da janela de transferências. Até o momento, o Galo confirmou as contratações de Bernard, Junior Alonso e Lyanco.

“Os reforços estarão disponíveis quando chegar o momento. Que Rubens esteja recuperado, que Saravia esteja, que Lemos esteja, que Everson esteja. Depois, não sei se jogarão ou não, mas pelo menos estarão disponíveis. Que Mariano esteja recuperado, Alisson também. Zaracho, muito importante. Imagino que se isso acontecer, seremos mais fortes, se não por qualidade, ao menos por quantidade, que é o que precisamos”, disse Milito.

Comentários estão fechados.

n