Galo admite que teve gasto de R$ 200 milhões não planejado

O estádio próprio, é o sonho de qualquer torcedor apaixonado por futebol, e para a Massa Atleticana, este sonho está muito próximo de acontecer. A Arena MRV, tem previsão de inauguração para 25 de março de 2023, aniversário do Galo, mas já está a cara do torcedor alvinegro, com as cores que representam o clube, e o escudo que já foi instalado, em parte da fachada.

Contudo, durante participação na Mesa Redonda nesta segunda-feira (19), Ricardo Guimarães comentou sobre a temporada do Atlético, os planos do Galo para 2023, as negociações da Sociedade Anônima (SAF), salários em dia, conversas da diretoria com Cuca e deu informações sobre a Arena MRV. A construção do estádio no bairro Califórnia, no Noroeste de Belo Horizonte, gerou contrapartidas.

“Ficou mais caro que o planejado, já foi falado. Mesmo dentro do previsto, tivemos o problema das contrapartidas, que encareceu demais e não estávamos esperando. Inclusive consideramos essas contrapartidas um absurdo. Estamos tendo um peso de quase R$ 200 milhões”, pontuou.

Valor total da Arena MRV superou o planejado pelo Galo

Mesmo atuando da melhor maneira para reduzir custos, o valor total do estádio superou estimado, dos R$ 410 milhões projetados no início do projeto, cinco anos atrás, para os atuais R$ 926 milhões, divulgados pelo ‘ge’. Em relação à estrutura do estádio, os custos aumentaram devido a inflação de materiais, como aço e concreto, além das mudanças no próprio projeto.

A expectativa da torcida para 2023, visando a inauguração do estádio, é a classificação do elenco para a Copa Libertadores. Na atual temporada, a equipe que conquistou o ‘Triplete Alvinegro’ em 2021, foi eliminada de maneira precoce da Copa do Brasil, e em seguida, pelo torneio continental. No Brasileirão, torneio que ainda é o atual campeão, ocupa a sétima posição, com apenas 40 pontos.

Comentários estão fechados.

n