Jemerson chuta o balde e fala tudo que pensa sobre saída do Atlético

Jemerson, jogador que se desenvolveu nas divisões de base do Atlético, teve duas fases distintas no clube. Sua mais recente passagem, que começou em 2022, chegou ao término recentemente com sua transferência para o Grêmio.

O defensor iniciou sua trajetória no Galo em 2013, quando ascendeu à equipe profissional. Durante os dois anos seguintes, ele se destacou como um dos principais jogadores do time, e suas performances impressionantes resultaram na sua transferência para o Mônaco, na França, em janeiro de 2016.

No seu retorno em 2022, a experiência de Jemerson foi distinta, já que com mais idade, ele não conseguiu replicar suas performances anteriores e frequentemente enfrentou críticas intensas da torcida. Ao ser apresentado pelo Grêmio, o jogador minimizou as críticas que recebeu no Atlético, afirmando que teve “mais jogos bons do que ruins” na sua perspectiva.

“Sobre as contestações, faz parte do futebol. Todo atleta vai ter isso, em toda área. Não deixo isso me afetar. Evito ouvir coisas e foco no meu futebol, que é o que eu controlo. Foram quase dois anos nessa segunda passagem. Tive três ou quatro treinadores e joguei com todos. Não foi à toa. Acho que fiz mais jogos bons que ruins. Agora é uma nova fase, novo ciclo”, disse Jemerson.

Retorno financeiro de Jemerson

Apesar da segunda passagem abaixo, Jemerson foi vendido ao Grêmio por 650 mil dólares, o equivalente a R$ 3,3 milhões. Ao todo, o zagueiro proporcionou ao Atlético aproximadamente R$ 32,1 milhões em receitas.

Isso porque, em 2016, o Galo recebeu uma oferta do Mônaco de 11 milhões de euros (equivalente a aproximadamente R$ 48 milhões naquela ocasião). O clube ficou com 60% do montante final da transferência, que totalizou cerca de R$ 28,8 milhões.

Comentários estão fechados.

n