Menin assina contrato de R$ 2 bilhões para o Galo

Durante uma reunião ocorrida nesta última quarta-feira (7), os clubes que fazem parte da Libra, incluindo o Galo, aprovaram a proposta do Grupo Globo para a venda coletiva dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro pelos próximos cinco anos, de 2025 a 2029. A informação foi divulgada inicialmente pelo jornalista Rodrigo Mattos.

Recusando uma negociação conjunta com os clubes da Liga Forte Futebol (LFF), o grupo composto por Atlético, ABC, Bahia, Corinthians, Flamengo, Grêmio, Guarani, Ituano, Mirassol, Novorizontino, Palmeiras, Paysandu, Ponte Preta, Red Bull Bragantino, Sampaio Corrêa, Santos, São Paulo e Vitória chegou a um acordo com a emissora no valor de R$ 1,3 bilhão para os direitos de transmissão na TV aberta e fechada. Esse montante pode chegar a R$ 2 bilhões com a inclusão do Pay Per View.

“Queremos reforçar nosso objetivo principal, que é a criação de uma liga inédita no Brasil envolvendo os 40 clubes das duas primeiras divisões. Escolhemos o caminho que acreditamos ser aquele que mais contribuirá neste processo. As condições colocadas na mesa durante as negociações apontam nesta direção”, disse o CEO do Galo, Bruno Muzzi.

Galo supera rivais em ganhos com TV

No ano passado, o Galo esteve a frente do Cruzeiro em arrecadação de direitos de TV no Campeonato Brasileiro, obtendo um total de R$ 121,2 milhões, enquanto a Raposa ficou com R$ 98,5 milhões. Já o América, rebaixado para a Série B, conseguiu arrecadar R$ 42,8 milhões.

A informação foi revelada pelo blog do jornalista Allan Simon, do UOL, que teve acesso às planilhas de pagamento. Entre os clubes que lideram em arrecadação de receitas com direitos de TV do Campeonato Brasileiro, o Flamengo está no topo, com um total de R$ 275,2 milhões, seguido pelo Corinthians (R$ 187,2 milhões), Grêmio (R$ 170,1 milhões) e Palmeiras (R$ 162,6 milhões).

Comentários estão fechados.

n