Milito ‘traz’ dicas do Guardiola para o Atlético e agita torcida

Com a saída de Felipão, não demorou para que o Atlético Mineiro fosse atrás de um técnico experiente dentro e fora das quatro linhas. Com apenas 43 anos, Gabriel Milito aceitou o compromisso de orquestrar o Galo até o final de 2025, mas sua pouca idade trará benefícios ao clube. Por ter sido treinado por Pep Guardiola, o comandante alvinegro tem triunfos a serem usados ao longos de sua permanência em Belo Horizonte.

Considerado por muitos como o melhor treinador da atualidade, Guardiola tem interferência no estilo de jogo adotado por Gabriel Milito. Enquanto vestiu a camisa do Barcelona como jogador de futebol, o atual técnico do Atlético foi comandado pelo espanhol durante três anos e não escondeu sua admiração pelo multicampeão.

– “Tive muitos bons treinadores. Guardiola sem dúvidas foi um dos melhores. Aprendi muitos conceitos com ele, muitos. E depois com meus próprios ideais de jogo, de futebol, e tento aplicá-los. O primeiro que temos que fazer é ser autêntico. Não podemos imitar outro treinador. Tem que fazer o que sente. Mas para que os futebolistas ganhem, convencidos, primeiro precisamos transmitir confiança e conhecimento. Isso ajuda que a equipe pratique o jogo que pretendemos. Se um não está convencido, 100%, não dão conta. Eu não tenho dúvidas de como deve jogar a equipe” – afirmou o novo reforço do Galo.

O que se esperar do Atlético de Milito?

Com menos de uma semana à frente do Galo, Gabriel Milito pretende organizar a casa com um estilo de jogo autentico e que priorize as jogadas coletivas. Em conversas com o departamento de futebol alvinegro, o ex-Barcelona, o argentino colocou em evidência a necessidade de seus jogadores priorizarem a posse de bola diante de seus adversários.

– “Eu gosto de dominar as partidas tendo a bola. Creio que temos equipe e jogadores para fazer isso. Como um jogo coletivo, devemos automatizar e sincronizar certos movimentos. Vamos jogar de diferentes formas táticas, mas o estilo será um só. Ter a bola para ter domínio do jogo com a bola, e quando ir para o rival, fazer com que dure pouco. Tentar passar todo o tempo com a bola, incomodar. Esses dois conceitos são muito importantes para mim” – explicou o comandante.

Comentários estão fechados.

n