O que falta para o Galo receber o investimento da SAF?

Na última quinta-feira (20), o Atlético-MG concretizou um dia ímpar em sua história, e após votação do Conselho Deliberativo, foi aprovado o modelo que definia a venda de 75% da Sociedade Anônima de Futebol (SAF) do Galo. Logo no primeiro dia reunião, o número necessário para aprovação (273), foi atingido às 18h20. A expectativa da torcida é para os próximos passos.

A “Galo Holding”, que será responsável por comandar a SAF alvinegra, possui os conhecidos 4 R’s (Rubens e Rafael Menin, Ricardo Guimarães e Renato Salvador), como os investidores de maior peso, que acumulam a maior porcentagem dentro dos 75%. O modelo destinado aos mecenas foi o que mais dividiu opiniões entre a Massa Atleticana. A associação ainda permanecerá com 25%.

No Twitter, Fred Augusto comentou sobre os próximos passos para que o Atlético conte finalmente com o investimento projetado inicialmente: “A previsão eh que o processo da SAF se concretize no final de Setembro e inicio de Outubro. Existe a parte burocrática que precisa ser seguida. O aporte financeiro inicial será realizado, logo depois da parte burocrática ser finalizada”.

Rubens Menin revela expectativa sobre a SAF

Os 4R’s são velhos conhecidos da Massa Atleticana e já atuam como investidores ativos no time. Assim, a ideia é realizar um aporte de R$ 600 milhões, além de “perdoar” 100% dos empréstimos realizados pela Rubens e Rafael Menin e Ricardo Guimarães, algo que gira em torno de R$ 313 milhões. Atualmente, o Atlético acumula a maior dívida do futebol brasileiro, algo que será responsabilidade da SAF.

“Não queremos levar vantagem. Vamos é aumentar a responsabilidade a partir de agora. A coisa, feita com o profissionalismo que está sendo feita, o Atlético vai ser um time grande. Não tem nada fácil. Tudo é muito difícil. Mas vai ser um time grande”, revelou Rubens Menin, finalizando seu discurso em coletiva, de maneira ambiciosa.

Comentários estão fechados.

n