Pepa jogou tudo no ventilador sobre sua demissão do Cruzeiro

A situação do Cruzeiro volta e meia aparece tomando conta da imprensa nacional e internacional. Dessa vez, a Celeste ganhou forças ao ver seu nome comentado pelo técnico Pepa, que foi demitido do cargo ao final de agosto. Sem papas na língua, o ex-comandante não escondeu a mágoa e aborrecimento que enfrenta contra os dirigentes da Raposa.

Frustrado por sua demissão, em entrevista para o Globo Esporte, Pepa mostrou que a decepção ainda o persegue após dedicar todo o seu esforços em função do Cruzeiro. O português afirmou que não queria sair da Toca da Raposa, mas que apesar das divergências segue torcendo para que o clube se reerga.

Não me faltou nada (no Cruzeiro). A única coisa que me senti foi um pouco desapoiado. Você treina o Cruzeiro, com 11 milhões de torcedores, uma paixão louca. De repente, tchau, acabou. Se fosse por confusão com jogadores, com direção, com más exibições… aí, sim. É uma grande mágoa.

– Pepa

Anunciado como novo treinador do Cruzeiro no dia 20 de março, Pepa viveu momento de oscilações com o clube mineiro. Como resultado da inconstância, o português, em 25 partidas disputadas, conquistou sete vitórias, oito empates e dez derrotas, totalizando um aproveitamento abaixo da média.

Com sua demissão, a Celeste foi em busca de Zé Ricador, apresentado apenas no dia 5 de setembro. Contudo, a escolha de Ronaldo Fenômeno não foi bem aceita por parte da maior torcida organizada da Raposa. Em resumo, a Máfia Azul ameaçou o ex-jogador da seleção por suas escolhas e pediu comprometimento com o clube.

Crise dentro e fora do Cruzeiro

A quem pense que a situação de Ronaldo está complicada apenas no Cruzeiro. A princípio, o Valladolid completou cinco anos sob o comando do brasileiro. Todavia, o início de temporada da equipe é desastroso, além de o elenco ser pouco rodado e os investimentos não serem feitos. A consequência da falta de gestão do craque reflete na ocupação da equipe espanhola na zona de rebaixamento para a terceira divisão.

Em continuidade, os espanhóis negociaram 23 jogadores, o que gerou uma receita de 30 milhões de euros. Por outro lado, dez novos reforços chegaram, sendo o mais caro o atacante brasileiro Marcos André, ex-Valencia, que custou 2 milhões de euros. Assim, o restante da bolada não foi investida e os torcedores pedem uma justifcativa.

Comentários estão fechados.

n