Ronaldinho Gaúcho é intimado a depor e pode voltar à PRISÃO

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Pirâmides Financeiras, da Câmara dos Deputados, está planejando ouvir o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho, nesta Terça-feira (22), no depoimento sobre a Empresa 18K. A empresa está atualmente sob investigação por supostamente envolver-se em práticas de pirâmide financeira com moedas digitais.

Ronaldinho é cofundador da 18K, ele foi convidado para compartilhar seus insight sobre os negócios da empresa e esclarecer as alegações feitas contra ela. A audiência acontecerá após o pedido do deputado Ricardo Silva, que parece muito interessado em desmembrar os esquemas da empresa. R10 poderá se negar a falar e não poderá ser ameçado de prisão se tomar esta atitude.

O ex-atleta afirma que sua imagem foi usada de maneira inadequada, levando a alegações incorrectas de seu envolvimento nos assuntos financeiros da empresa. De acordo com Silva, a empresa prometia aos seus investidores rendimentos diários de até 2%, supostamente baseados em operações com moedas digitais.

Como esses esquemas operam muito na base de informações falsas, muitas pessoas inocentes acabam sofrendo com enormes prejuízos financeiros. Além do ex-jogador, Roberto de Assis Moreira, irmão de Ronaldinho Gaúcho, e Marcelo Lara, sócio da 18K, também foram convocados para depor na CPI.

Especialistas indicam que Ronaldinho poderá alegar que não sabia o que a 18k fazia e que apenas emprestou sua imagem a empresa, assim se livraria de vínculos com o esquema. A situação do craque poderá piorar se ele for enquadrado na lei 7.292, que trata de crimes contra o sistema financeiro nacional, onde o artigo 16 prevê de um a quatro anos de prisão e multa.

Quem mais está envolvido neste caso de pirâmide financeira?

A CPI também ouvirá o presidente do Santos Futebol Clube, André Rueda. Isso ocorre devido ao patrocínio do clube de futebol pela empresa de cassino e apostas online, Blaze, que também está sob forte suspeita de possíveis atividades fraudulentas.

O investimento em um esquema fraudulento de pirâmide financeira pode resultar em perdas significativas para os investidores. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estima que pelo menos 11 empresas realizaram fraudes usando moedas digitais, oferecendo promessas de alta rentabilidade ou garantia para atrair investidores.

Comentários estão fechados.

n