Surgiu como esperança no Atlético e agora está sendo mandado embora por Carille

Patrick, ex-Atlético e um dos principais reforços do Santos para a Série B do Campeonato Brasileiro, pode ter sua trajetória no clube encurtada devido ao baixo desempenho. O presidente do Peixe, Marcelo Teixeira, deixou isso claro, destacando que o tempo para o jogador melhorar é limitado.

O “Pantera Negra”, com nove partidas disputadas nesta temporada e pouco mais de 300 minutos em campo, terá até a abertura da janela de transferências em 10 de julho para demonstrar seu valor. Caso contrário, ele será incluído na lista de jogadores que o clube pretende negociar.

“Nós contratamos ele pensando na Série A. Ele reduziu 30% do salário para vir jogar no Santos. Pelo que jogou no São Paulo, no Atlético-MG. O Guilherme tem mais a cara do Santos. O Patrick é outro tipo de atleta. A gente espera que ele possa performar. Pelos últimos jogos que vimos ele fazer no Atlético-MG, iria performar. A gente espera que ele possa melhorar”, disse o coordenador de futebol Alexandre Gallo.

Passagem pelo Atlético

Patrick chegou ao Atlético em janeiro do ano passado, atendendo a um pedido do técnico argentino Coudet, e em aproximadamente um ano e meio, o meia foi titular em apenas 15 partidas e participou de 48 dos 81 jogos do clube nesse período. Durante esse tempo, ele contribuiu com duas assistências e marcou um gol.

O atleta revelou que, devido à falta de oportunidades no Galo, percebeu que era o momento de deixar o clube. Com a chegada de Felipão como técnico, ele retornou ao banco de reservas.

Nesta temporada, Patrick havia participado de apenas três partidas e estava se recuperando de um edema na coxa esquerda. O atleta tinha contrato com o Atlético até dezembro de 2025.

Comentários estão fechados.

n