Torcida se revolta com parceria do Atlético em enquete

Se dentro de campo é só alegria, fora nem tanto. Além de enfrentar problemas financeiros, com cerca de R$ 1,5 bilhão em dívidas, o Atlético Mineiro sofre com outra questão. A torcida, inclusive, já se manifestou nas redes sociais e não deixou barato. A mudança na metade da última temporada prometia ser benéfica, mas na verdade só causou novos conflitos.

A apaixonada Massa Atleticana fez valer a sua voz nas arquibancadas e quem sabe a diretoria tome uma atitude que vise o melhor proveito de cada torcedor que lota os estádios Brasil afora. A força da torcida foi provada nas decisões do Atlético na temporada. Duas vitórias na pré-Libertadores e triunfo sobre o Athletic para colocar o Galo na final do Estadual. É hora de retribuir.

Escolha conturbada

O problema surgiu por conta de uma nova medida implementada pela Adidas aos clubes brasileiros e não somente ao Atlético Mineiro. A fornecedora de material esportivo estabeleceu o preço médio de R$ 400 para a venda de camisas oficiais de jogo.

Valor totalmente absurdo e que não condiz com as falas de “Futebol é para todos” ou afins. A marca francesa retomou a parceria com o Atlético após quase três décadas ao substituir a Le Coq Sportif, porém, o impacto é negativo por enquanto. Basta olhar a enquete realizada pelo famoso influenciador atleticano, Cris Galo.

Mais de 80% dos votos para “Não, está devendo”

Vai jogar com qual?

O novo manto do Atlético Mineiro também é sinônimo de polêmica em 2023. Em apenas três meses, já houve vazamentos de diversas imagens que representariam a camisa oficial utilizada pelos jogadores, mas o anúncio mesmo, sairá junto das comemorações dos 115 do Galo provavelmente.

Comentários estão fechados.

n