Após derrota para o Peñarol, Atlético confirma fim do ciclo com Milito

Em uma noite em que não conseguiu apresentar seu melhor futebol e teve que lidar com a “lei do ex”, o Atlético sofreu sua primeira derrota sob o comando do técnico Gabriel Milito. Após nove vitórias e três empates, o time foi derrotado por 2 a 0 pelo Peñarol, em Montevidéu, pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

Com o resultado, o Galo continua liderando o Grupo G, acumulando 12 pontos, e já garantiu, no mínimo, a segunda posição na tabela. Considerando que o time uruguaio agora está com nove pontos, na próxima rodada, o Alvinegro só precisará de um empate contra o Caracas, no dia 28, na Arena MRV, para assegurar a liderança.

Revés do Atlético

Mário Henrique ‘Caixa’, narrador da rádio Itatiaia, analisou a derrota do Atlético para o Peñarol. Em sua opinião, o time uruguaio adotou uma estratégia de jogo focada em aproveitar uma única oportunidade e foi eficiente na execução do plano delineado pelo técnico Diego Aguirre.

“Setenta, setenta e cinco por cento de posse de bola para o Atlético. Uma retranca danada, o Peñarol. Mas foi uma retranca organizada. Dar os méritos ao Aguirre, que soube montar seu jogo para o Atlético não penetrar, não fazer os gols. E depois, em duas bolas paradas, chegar aos seus gols. Um passo importante. Uma hora iria acontecer essa derrota”, disse Mário Henrique ‘Caixa’.

Como já citado, o Galo agora precisa de pelo menos empatar diante do Caracas para assegurar a primeira colocação do grupo. Em relação a melhor campanha da Libertadores, o Talleres, da Argentina, acabou ultrapassando o Alvinegro, depois de vencer o Cobresal, do Chile.

Comentários estão fechados.